Mais Pajeu

Em Afogados, mulher é trancada em casa, agredida, obrigada a tomar remédio e tem seu bebê ameaçado

em-afogados,-mulher-e-trancada-em-casa,-agredida,-obrigada-a-tomar-remedio-e-tem-seu-bebe-ameacado
Em Afogados, mulher é trancada em casa, agredida, obrigada a tomar remédio e tem seu bebê ameaçado

Compartilhe nosso conteúdo:

O efetivo do 23º BPM realizava patrulhamento, quando acionado pela Central de Operações, para averiguar uma denúncia de violência doméstica familiar no bairro São Francisco (Rua Nova), em Afogados da Ingazeira.

Quando se aproximavam do local da ocorrência, o efetivou avistou a vítima com o braço para fora da casa pela janela, segurando um aparelho celular com a lanterna ligada e gritando por socorro. Ao parar na frente da residência a mulher gritava para que o policiamento arromba-se a porta, para que assim ela saísse, pois estava sendo agredida pelo seu companheiro e ele teria fechado a porta e ficado de posse das chaves.

Durante o contato com a vítima, o agressor apareceu na janela da casa e se recusou a abrir a porta, sendo necessário efetuar o arrombamento, com um chute na altura da fechadura, para prestar o socorro à vítima.

Ao entrar na residência, foi dada voz de prisão ao agressor, tendo ele se negado a obedecer as ordens emanadas pela autoridade presente e entrou em luta corporal com o efetivo, sendo necessário o uso proporcional da força e uso de algemas para contê-lo.

Em seguida, já com o homem no xadrez da viatura, foi perguntado a vítima sobre os fatos, momento que ela passou a relatar que é amasiada com seu agressor e que por volta das 22h do dia anterior, motivado por ciúmes, o acusado começou com as agressões e a obrigou a tomar um remédio de nome “Diazepam”. A vítima informou que após ingerir a medicação deitou na cama para dormir e por volta das 02h30 do corrente dia, acordou com o as agressões do imputado, dessa vez com mais violência, sendo atingida no rosto por socos e sufocada no pescoço pelas mãos do agressor.

A vítima é mãe de uma criança de 01 ano e 06 meses de idade e informa que o agressor segurava seu pescoço com uma mão e com a outra ameaçava bater na criança, apontando a mão no rosto da bebê e dizendo as palavras (diga duvida), porém o imputado ficou só na ameaça e não chegou a agredir a criança.

A vítima encontra-se com lesão no olho direito e na testa.

Diante do exposto o imputado e a vítima foram conduzidos para delegacia de Polícia Civil para serem tomadas às medidas legais cabíveis.

Fonte: maispajeu.com.br