Farol de Noticias

Sem projetos aprovados, Vandinho diz que sofre retaliação em Serra Talhada

sem-projetos-aprovados,-vandinho-diz-que-sofre-retaliacao-em-serra-talhada
Sem projetos aprovados, Vandinho diz que sofre retaliação em Serra Talhada

Sem projetos aprovados, Vandinho diz que sofre retaliação em Serra Talhada

Foto: Farol de Noticias-Licca Lima

O vereador Vandinho da Saúde abriu o verbo na tribuna da Câmara Municipal de Serra Talhada (CMST), nessa terça-feira (28), relatando uma situação de ‘escanteio’ que vem sofrendo no parlamento, por ser o líder da oposição.

Ele tenta aprovar dois projetos de lei, desde 2022, mas que foram colocado fora de pauta, engavetado, sem previsão de aprovação.

O curioso é que os projetos têm apelo popular: Um beneficia pacientes autistas, e o outro acaba com a fila na Central de Regulação, para marcação de consultas.

“Fui na secretaria pegar dois projetos de lei meus, que estão engavetados desde 2022, por incompetência? Não. Por irresponsabilidade? Não vou julgar. Quer dizer que para mim, que sou oposição ao governo, vale usar o regimento, mas para um aliado rasga o regimento, não existe regimento. Estão engavetados desde de 01 de Agosto de 2022 e 11 de Outubro de 2022, projetos que apresentamos aqui nessa casa, que eu tenho certeza absoluta que iriam servir muito a população serra-talhadense”, disse Vandinho da Saúde, detalhando:

“Um que trata da descentralização da Central de Regulação do nosso município, tirar da central de regulação o poder de estar marcando exames, consultas, cirurgia, retornos, e descentralizar e levar para todas a unidades básicas de saúde, como era o projeto e uma promessa de campanha da prefeita Márcia Conrado”.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

Na opinião de Vandinho, a postura da Mesa Diretora da Câmara vai de encontro aos anseios dos  mais pobres.

“Mas não passou nessa casa não, passou não, um projeto de lei tão importante para a sociedade, para deixar que o cidadão serra-talhadense não passe 1 ano, 6 meses, 1 ano e 6 meses na fila esperando uma consulta, esperando uma cirurgia, esperando uma ultrassom. Lamentável tudo isso”, concluiu.

Fonte: faroldenoticias.com.br